Qual o nível mais seguro para fazer um overclock? Deixe um Comentário

O segredo de um bom overclock está no equilíbrio: encontrar o ponto em que a aceleração dos componentes não comprometa a integridade do sistema. Mas não existe receita pronta para isso, já que cada máquina compõe um conjunto único de hardware e software.

Podemos fazer uma comparação com o corpo humano: dois bebês geneticamente iguais desenvolverão, ao longo da vida, diferenças em termos de metabolismo e resistência. Isso ocorre por influências do ambiente, variações no padrão alimentar, grau de estresse a que cada um é submetido, entre outros fatores. Algo semelhante ocorre com os computadores, já que, com o passar do tempo, as condições de uso do PC deixam marcas específicas em cada componente.

Cabe, aqui, uma breve explicação para quem não está familiarizado com o assunto.

O que é overclock?

É uma técnica de aceleração de um ou mais componentes do computador – normalmente, o processador (CPU), a placa de vídeo (GPU), os chips (chipset) da placa-mãe e/ou a memória RAM. Com isso, é possível obter um desempenho muito superior da máquina. A má notícia é que existe sempre algum risco de o componente não suportar a aceleração e ter sua vida útil reduzida.

Como se faz overclock?

 Enviando instruções diretamente ao hardware, geralmente a partir da BIOS ou por meio de programas específicos para isso.

E quem costuma fazer overclock?

Normalmente, usuários avançados – como profissionais de áreas que demandam grande capacidade computacional, gamers e entusiastas da informática. Existem até competições de overclock, nas quais os participantes chegam a aplicar técnicas extremas de resfriamento dos componentes, como o uso de coolers de nitrogênio líquido.

Fabricantes de componentes direcionados a esse público costumam já adaptar seus produtos para suportar algum nível de overclock. Algum grau de risco, entretanto, sempre existe – e detectar o ponto mais seguro depende sempre de quanto o usuário conhece a máquina com a qual está trabalhando.

Uma forma de saber se um PC em overclock está em situação estável (saudável) é rodar um teste de estresse. Alguns programas mostram a pontuação do computador em relação a determinados padrões. Em geral, o desligamento da máquina durante o teste é o principal sinal de que ela não está aguentando o tranco do overclock.

Por fim, respondendo à pergunta do título deste post: o nível mais seguro para fazer um overclock depende do grau de conhecimento que o usuário tem sobre o tema e sobre a máquina que ele está operando. Se você pretende acelerar algum componente do seu computador para além do que é recomendado pelo fabricante, primeiramente conheça bem suas especificações, pesquise bastante e participe de fóruns sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.